INFORMAÇÃO - Financiamento de imóvel: veja dicas para evitar surpresas desagradáveis

Compartilhar

Publicado em 06 de dezembro de 2021

Muita gente possui o sonho da casa própria e busca planejar-se para fugir do aluguel. Quem pretende iniciar um financiamento imobiliário, porém, deve levar em consideração que a taxa básica de juros, Selic, deve aumentar ainda mais nos próximos meses.

Atualmente em 7,75% ao ano, a Selic deve ser aumentada nesta terça-feira (7), quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) realiza a última reunião do ano. O mercado financeiro espera que, para combater a alta da inflação, a Selic chegue em 9,25% ao ano.

Com a alta dos juros, torna-se ainda mais caro financiar o imóvel próprio.

O G1 elaborou uma série de dicas para quem pretende comprar um imóvel nos próximos meses.

Confira:

1 – Quem pretende comprar um imóvel novo só pode financiá-lo no banco ao pegar o Habite-se, documento que regulamenta o imóvel municipalmente, após a conclusão da obra. Portanto, quem comprar um imóvel ainda na planta pode ter que pagar juros mais altos do que no momento da aquisição.

2 – O metro quadrado nos grandes centros urbanos são sempre mais caros do que em bairros um pouco mais distantes. Vale a pena procurar bairros “alternativos”, mas é importante observar transporte público e o tempo de deslocamento a trabalho, escola, etc.

3 – Quem estiver em dúvida entre uma casa ou um apartamento deve levar em consideração que, embora não tenha custos relativos a condomínios, casas são opções com menos segurança dependendo do local.

 
 

4 – É importante checar a situação legal do imóvel no Cartório de Registro de Imóveis no qual foi matriculado. Com a Certidão de Ônus Reais é possível verificar possíveis dívidas do imóvel a ser comprado.

5 – O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser resgatado à compra de imóveis.

6 – Quem for comprar um imóvel também deve se preparar a alguns custos adicionais no ato da aquisição: Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), Escritura de imóvel (se comprado à vista), Registro de imóvel e avaliação bancária (se financiado).

Voltar a listagem de notícias